Pedra da Gávea (RJ): como ir e dicas para curtir a trilha!

Pedra da Gávea

Você está viajando para a Cidade Maravilhosa e quer conhecer melhor os pontos turísticos por lá? A Pedra da Gávea é um dos mirantes mais belos e intrigantes do Rio de Janeiro.

Trata-se do maior bloco de pedra à beira mar do mundo! Isso mesmo. E, além de um local lindíssimo para tirar fotos, já que lá do alto os viajantes podem ter uma das visões mais bonitas de todo o Rio de Janeiro, é também perfeito para os aventureiros que procuram adrenalina e gostam de fazer trilhas.

A Pedra da Gávea possui 842 metros e, de lá, é possível ver a Baía de Guanabara, algumas montanhas do Parque Nacional da Tijuca, tais como o Bico do Papagaio, Pico da Tijuca, Corcovado e Pedra Bonita; as principais praias da Cidade Maravilhosa, como Leblon, Ipanema, São Conrado e Barra da Tijuca.

Além deles, em dias de céu aberto e bem azul, também dá para avistar as montanhas da Serra dos Órgãos. A trilha, que é considerada longa e pesada, exige a companhia de guias, sendo que o local disponibiliza os mais experientes para fazer o trajeto.

Quer saber mais sobre a Pedra da Gávea e como aproveitar melhor essa atração do Rio de Janeiro na sua viagem? Então, continue a leitura desse artigo!

Uma história cheia de mistérios

Pedra da Gávea
Foto: O Viajante/Reprodução

A Pedra da Gávea fica localizada no Parque Nacional da Tijuca e possui 842 metros de altura, sendo maior bloco rochoso à beira mar do mundo.

Para fins de curiosidade, o nome da Pedra da Gávea se deu por conta da semelhança com a gávea, que é aquele cesto para observação que fica no mastro das caravelas portuguesas.

O ponto turístico do Rio de Janeiro também é conhecido como “cabeça do imperador”, devido ao fato de o lado da pedra que fica oposto ao mar possuir o formato de um rosto. Inclusive, por causa disso, essa parte era chamada pelos índios de “Metaracanga”, que quer dizer “cabeça enfeitada”.

E a sua história é contada a partir de um grande número de lendas. A primeira delas originou-se no século XIX, quando pesquisadores do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) encontraram marcas na rocha, que foram interpretadas como resquícios de escritos de fenícias bastante antigas.

Essas inscrições até chegaram a ser traduzidas e, a partir daí, o local passou a ser apresentado por algumas pessoas como as ruínas de uma esfinge. Ainda, há outras lendas que contam que a Pedra da Gávea se trata, na realidade, de um portal para outras dimensões, local de visita de discos voadores e entrada para cidades subterrâneas, entre outras versões.

Veja também:

8 praias do Rio de Janeiro que todo turista precisa visitar!

Como ir?

A Pedra da Gávea, como você já leu anteriormente, fica na Barra da Tijuca. No entanto, o acesso ao local deve ser feito pelo bairro de São Conrado. Chegando lá, a entrada principal da trilha fica no final da Estrada do Sorimã, que, por sua vez, é acessada por meio da Barrinha (um sub-bairro da Barra da Tijuca).

No fim dessa estrada, há uma pracinha, que serve de estacionamento para os carros. E é ali que começa a trilha. Em seu lado direito, existe um portão verde (número 936). Você deve ir até lá. Antes de começar a caminhada, no começo da trilha, há uma placa com um mapa e, também, com informações importantes sobre a trilha.

Como fazer a trilha da Pedra da Gávea?

Pedra da Gávea
Foto: Rio Natural/Divulgação

A trilha da Pedra da Gávea é considerada longa e pesada. Ela tem uma duração de 9 horas (ida e volta), aproximadamente, e exige um bom condicionamento físico e conhecimento do local, o que justifica o fato de a trilha só poder ser feita com a companhia de guias experientes.

No início do trajeto, você deverá passar por um caminho colonial de pedras, onde haverão algumas ruínas históricas. Esse comecinho da trilha é bem suave, com um pequeno aclive e uma cachoeira muito bonita, chamada Cachoeira do Sorimã.

Quando em dias mais quentes do ano, ao terminarem todo o trajeto (ida e volta), os viajantes costumam aproveitá-la para se refrescarem da longa caminhada. O ponto mais crítico da trilha é a chamada Carrasqueira, que nada mais é que um paredão de pedra, praticamente reto, que só pode ser transposto com o auxílio de pés e mãos, além dos equipamentos de rapel, que são disponibilizados no próprio local.

A subida da Carrasqueira

A Carrasqueira é um trecho de 30 metros de escalada de nível básico. A subida pode ser feita por viajantes com ou sem experiência, já que o guia irá auxiliar para que todos os participantes consigam fazer o trajeto usando técnicas de escalada em rocha e com os devidos equipamentos.

Inclusive, a descida do trecho é feita com equipamentos e técnicas de rapel. Como o clima na maior parte do ano no Rio de Janeiro é úmido e quente, é imprescindível que todos os participantes da trilha da Pedra da Gávea hidratem-se o tempo todo, sendo o requisito principal que este levem, no mínimo, 3 litros de água para realizar a atividade.

Horário de funcionamento

A trilha da Pedra da Gávea só fica aberta das 8h às 17h (no verão, até às 18h). Por isso, se você quiser fazer o passeio no local, deve chegar o mais cedo possível.

E aí? Gostou de saber tudo sobre a Pedra da Gávea? Então, compartilhe esse artigo com os seus amigos viajantes!

Até a próxima!

Deixe seu comentário!